segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Modus operandi

Como se faz

Visita à Quinta do Monte d’Oiro
Um lugar de civilização. Lugar também de vento forte e constante, daí o nome da freguesia: Ventosa. A poucos quilómetros, é a Abrigada. 20 ha de vinhas em produção. 60% é Syrah. Todo o vinho do Monte d'Oiro tem um conceito gastronómico. De cada um que se provava, a Graça dizia com que comida casaria. Contou que Bento dos Santos é generoso, cultiva o prazer da partilha. Assim, na companhia dele, tem provado os melhores vinhos do mundo. Segundo ela, Bento dos Santos diz que o vinho é para beber, não para provar. Diz também que os vinhos do Monte d'Oiro são naturalmente gastronómicos. Ao fundo da adega, velando as pipas, estão duas estátuas (de madeira, creio): uma figura de mulher, representando a Arte, e uma de homem, representando o Engenho. Desde que ali chegou, em 2005, a Graça foi aligeirando e apurando o Madrigal, que achava pesado. Fê-lo aos poucos, porque foi preciso ir convencendo Bento dos Santos das suas razões. É ele quem idealiza os vinhos. Graça é a técnica que os executa, também tendo sua palavra. Em geral, não gosta dos brancos de Viognier dos outros. Diz que se trata de uma casta difícil de criar e de trabalhar. Como a Fernão Pires, facilmente origina vinhos perfumados em excesso, fáceis, oferecidos. Quanto a ela, prefere discrição e elegância. É a marca da Quinta do Monte d'Oiro.

3 comentários:

Hugo Mendes disse...

Belo Post. Parabéns!

Parabéns igualmente pelo Blogge. Gosto muito. Continue!
HM

João Inácio de Paiva disse...

Viva, Hugo. Obrigado pelo seu comentário.
Fico contente por saber que lê e por contá-lo entre os amigos do «Amável Vinho».
Bem haja.

Flavio Henrique disse...

Mais um belo artigo. Parabéns.
Concordo plenamente com o Sr. Bento dos Santos: Vinho é para beber, não para provar. Geralmente, só considero que bebi um vinho se participei do descorche e acompanhei sua evolução. Fico intrigado com o pessoal que "suja" o fundinho da taça e diz que apreciou determinado vinho.
A propósito, os vinhos da Quinta do Monte D'Oiro são belíssimos.
Abraços,
Flavio